quinta-feira, fevereiro 23, 2006

E-MAIL

Caros leitores,

De modo a poderem tirar dúvidas ou colocar questões relacionadas com o mega-encontro ou com outros assuntos apresentados e debatidos neste blog Unidas Por Uma Causa, e caso não se sintam à vontade para o fazer aqui, foi criado um endereço de e-mail para o qual podem enviar essas questões/dúvidas, às quais tentaremos responder sempre com a maior brevidade possível...

O endereço de e-mail é este:

unidas.por1.causa@gmail.com

Sintam-se à vontade para escrever e Beijinhos para todas!

34 Comments:

Anonymous Anónimo said...

gostei do vosso blog e dou-vos os parabens por se terem unido por uma causa tão nobre e que traz tanto sofrimento a quem vive esse drama(infertilidade) eu não tenho esse problema pois graças a deus tive sempre a felicidade de engravidar à primeira e tenho hoje um casal, dois filhos lindíssinos, mas conheço de perto esse problema que foi durante sete longos e desesperantes anos o drama de uma irmã, pena na altura não haver uma associação que como a vossa sentiu a necessidade de apioar todos os que passam por esse tormento. Mais uma vez os meus parabèns.
Cândida Marques.

11:58 da tarde, abril 01, 2006  
Anonymous Sofia said...

Não deixando de ser (muito) importante que se comece de alguma forma, gostava que considerassem começar a discutir a infertilidade daquelas que, como eu, sendo inférteis e não sendo um "casal" não podem sequer ter acesso a tratamentos.
Obrigada

12:28 da manhã, abril 02, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Olá!
lamento não ter tido conhecimento destes eventos mais cedo pois teria participado com muito gosto por uma causa que também é a minha!
Mais oportunidades haverão, concerteza!!!!
Beijinhos a todas e MUITA FORÇA, pois a nossa luta não é fácil... já tenho um período de alguns anitos nestas andanças e peço a Deus forças para continuar ....

7:22 da tarde, abril 04, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Depois de ver o documentário " In the womb" (a vida no ventre) que passou no National Geographic a alguns dias, voltou tudo outra vez. Já a algum tempo que estes pensamentos não me tiravam o sono .... porquê eu, meu Deus, porquê comigo? Com tantas mulheres que nem querem ser mães, que maltratam os filhos, porquê eu?
Ainda por cima os médicos não me dizem:
- você tem este problema, ou o seu marido tem aquele problema!
Não, os exames estão todos bem, mas o milagre não acontece.....
Ele pode engravidar outra mulher .... eu provávelmente posso engravidar de outro homem .... mas é a ele que eu amo!!! Foi ele quem escolhí para pai dos meus filhos, para partilhar a minha vida. Ele tem as qualidades que eu quero ver nos meus filhos .... só que os filhos não querem nada connosco!
Depois de 2 FIVs sem sucesso, não tenho agora dinheiro para novos tratamentos .... mas o tempo não me perdoa .... nesta minha luta contra-relógio (tenho 39 anos) sinto que estou a perder a batalha!
Na segunda feira, depois do documentário, sonhei que uma alma caridosa tinha piedade de mim ... um médico se interessava pelo meu caso, e deixava-me pagar o tratamento em prestações .... sonhei com um filho no ventre ... reviví todo o documentário que tinha visto ..... e tocou o despertador!!!!
Acordei para a realidade nua e crua ....
Deus me dê forças para continuar ......... amanhã será um novo dia ....
JP

7:43 da tarde, abril 04, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Depois de muito parlodel ( passo a publicidade!!) de muitas injecções de " estimula ovários" de muitos períodos de 15 dias em repouso ( como se fosse possível pedir ao nosso cerebro que o faça!!)e de muitos testes que acabavam por confirmar a nossa desconfiança ( Pois passados alguns tratamentos até já sabemos umas coisitas!!)ainda não há fraldas no estendal. :)
A esperança, essa, por vezes até se ausenta, mas depois volta ainda mais forte. Afinal só pessoas fortes e especiais é que são "escolhidas" para este tipo de coisas. Embora por vezes: PORQUÊ EU!!!TANTA GENTE NA TERRA, QUE ATÉ CHORA SE FICAR GRÁVIDA, PORQUÊ EU!?
Para qué saber a resposta?!!!
Não valerá mais viver a vida como um desafio e não como uma ameaça?
No que me diz respeito cada tratamento é um desafio que vou enfrentar e sei que a cada "derrota" ficarei mais forte.
Um beijo para as guerreiras
Parabéns pelo blog
Natália

9:50 da tarde, abril 04, 2006  
Anonymous Mariana said...

Olá amigas,
Pois é só nós podemos entender o sofrimento que é querer gerar um filho e não conseguirmos.
Já passei por tudo isso, e de facto nunca consegui ter um filho bológico.
Mas encontrei uma forma alternativa de ser MÃE, e não posso estar mais feliz. Adoptei uma criança.
Apesar de todos os receios que tinha, a verdade é que a minha filha não podia ser mais minha se tivesse nascido do meu ventre.
Sofri muito, senti uma enorme revolta, senti-me absolutamente injustiçada, mas tudo passou e sou absolutamente feliz.
Tentei de tudo para gerar um filho, mas não foi possível. Consegui aceitar e dar o passo em frente.
Sou feliz, porque sempre consegui relativizar o que me estava a acontecer, mas não nego que sofri muito ao longo de todo o processo.
Hoje acredito que não fui Mãe biológica porque a minha filha estava à minha espera e eu dela.
Seria feliz se tivesse sido Mãe biológica? Não tenho a a menor dúvida que sim, mas também tenho a certeza que não podia ser mais do que sou agora.
Sofri, aprendi, aceitei e fui absolutamente recompensada.
Só espero que todas consigam realizar os vossos sonhos.
Espero que, tal como eu, consigam entender que quando uma porta se fecha, imensas janelas abrem-se, só precisamos olhar para elas e avançar.
Força minhas amigas!

10:46 da manhã, abril 06, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Olá amigas.
Gostei muito do vosso blog e tive o prazer de ver alguns blogs particulares.
Não posso deixar de vos dar os parabéns pela vossa enorme coragem, pela coragem de continuarem a tentar o "vosso filho" apesar de tantos obstáculos que se vão levantando.
Eu tenho um menino com 23 meses e quando tomei contacto com alguns dos testemunhos deste e doutros blogs não pude deixar de pensar que muitas vezes aqueles que têm filhos com facilidade, como foi o meu caso, não têm consciência de quão abençoados foram.
Espero que todas e todos consigam o vosso bebé pois só alguém com muita capacidade para amar consegue ultrapassar tantas barreiras como aquelas que vocês descrevem
Muitas felicidades e já agora muitos bebés.
Tânia franco

meu e-mail
tanialopesfranco@sapo.pt

4:14 da tarde, abril 07, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Cruzei-me com o vosso grupo em Aveiro onde estavam a recolher assinaturas. Quero desejar a todas a melhor sorte do mundo. Eu sei o que é sofrer desse drama, porque também me atingiu como casal. Felizmente, as coisas correra,m muito bem. Não tivemos de esperar muito tempo, mas também porque tivemos possibilidade de recorrer ao privado. Conhecemos uma equipa fantástica. A equipa do Dr Alberto Barros. Competente, humana e sincera.
Hoje temos dois filhos LINDOS... Tive gémeos. Um casal com 14 meses... Eu posso dizer que me saiu o euromilhões.. Boa Sorte para todas

3:22 da tarde, abril 26, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Fico muito feliz por, finalmente, existir esta associação, este blogue, este
espaço de comunicação.
Vivi durante sete anos a dor da infertilidade. Foi um caminho muito solitário e
extremamente doloroso. Foram sete anos de esperanças e desilusões; de esperas
infinitas, consultas, exames, testes, médicos, hospitais públicos, clínicas
privadas, cirurgias; inúmeras viagens a Lisboa (vivo em Faro). Enfim, foi uma
história comum a tanta gente que vive esta situação.
Depois de muita dor e desespero, mas sempre com uma esperança e uma vontade
inabalável, o milagre aconteceu. Em Agosto de 2004 engravidei na primeira FIV
(microinjecção) depois de 5 inseminações! Hoje estamos muito felizes com o
nosso filho, que fez agora um ano.Eu queria dizer muita coisa, porque a infertilidade é algo que toma
completamente conta das nossas vidas e nos limita a existência. Mas prefiro
deter-me, por agora, numa questão: a necessidade premente de que esta doença
seja entendida pelo Serviço Nacional de Saúde como realmente é - uma doença
que precisa de tratamento urgente, que não pode ser adiado para 2 ou 3 anos
como acontece por regra. Para além disso, deve ser acessível a toda a gente
que dela sofra.
Por me ter sido negado tratamento em "tempo útil", fui obrigada a recorrer
a clínicas privadas, onde também vivi duas situações muito distintas entre
si sob vários aspectos, mas sobretudo no aspecto financeiro: a primeira onde
estive durante quase dois anos, cobrava-me exactamente o dobro da segunda em
tudo - consultas, exames, tratamentos.
Enfim, com muito sacrifício, conseguimos realizar o nosso sonho e hoje temos o
nosso menino que é a nossa maior alegria.
O que eu também quero dizer é que, embora a infertilidade seja muitas vezes um
mistério, e nem toda gente consiga ultrapassá-la (porque muitas vezes não há
motivos objectivos - conseguir uma gravidez depende de muitos factores, nem
sempre visíveis à luz da ciência e da racionalidade) ter filhos é um
direito universal, e quem precisa deve ser apoiado.
É por tudo isto e muito mais que concordo com a carta aberta à Assembleia da
República e apoio todas as iniciativas tomadas no sentido de alertar para esta
causa.
Teresa Cristina

10:01 da tarde, maio 19, 2006  
Anonymous ana said...

boa noite, hoje ouvi e vi pela 1ª vez o vosso site e como tal despertou-me imenso interesse visto que sou mais uma das pessoas com problema de infertilidade. Andei no HSM a fazer FIV e das 3 vezes deu negativo,a ultima foi em Julho de 2005 e como ja estou com 39 anos os medicos dizem que ja nao tenho possibilidade de fazer mais tratamentos por ter atingido o limite de idade. Como os tratamentos sao tao caros e nao ter uma disponibilidade financeira nao vou poder ir a uma clinica privada.
Mas nao perdi a esperança de um dia tentar de novo.... a todas um grande obrigado

9:42 da tarde, maio 24, 2006  
Anonymous Anónimo said...

tenho vontade de chorar qdo leio todas estas linhas. Vejo a minha vida nos últimos anos...

11:59 da manhã, maio 30, 2006  
Anonymous Anónimo said...

depois de lêr os comentários e angústias de pessoas que simplesmente querem ter um filho, aqui fica a experiência que eu e a minha esposa passámos.
Casámos em Agosto de 1999, em 2000, decidimos tentar ter um filho, mas as coisas não correram como planeávamos. Simplesmente nada acontecia.
Em finais de 2000, consultámos um especialista, o qual nos aconselhou a fazer exames, nomeadamente espermograma e uns outros relativos à minha esposa.
o resultado é que o espermograma apresentava uma morfologia defeciente, nomeadamente em relação ao n.º de espermatesoides e a mobilidade dos mesmos.
resultado disto tudo, mandaram-nos para a M.A.C, onde após sensivelmente 01 ano de exames e consultas nos informaram que seria IMPOSSIVÉL ter FILHOS.
A minha esposa teria também uma trompa que não seria tão permeável.
Só com reprodução assistida, é que tal era possivel.
Ficámos desiludidos e frustrados, mas lá nos inscrevemos na longa lista de espera para a inseminação artificial.
Entretanto, a minha irmã, contou-nos que uma senhora que é naturopata (Medicina Tradicional Chinesa)diplomada, já teria contribuido para a felicidade de um casal.
porque não, pensamos nós. Lá decidimos ir falar com a referida senhora, tendo a mesma dito de imediato que milagres não se fazem, mas que se iria tentar.
Após a mesma ver os resultados de todos os exames que eu e a minha esposa tinhamos feito, a mesma receitou-nos uns comprimidos para mim e um charope para a minha esposa.
A referida senhora disse que iria-mos aguardar cerca de 03 meses, para ver o que sucedia, para não andarmos ansiosos e enervados, visto que tal não seria bom.
O tempo passa, e ........PIMBA!
A cachopa estava GRÁVIDA!!!!!!
EXPECTÁCULO
Notámos durante o tratamento algumas diferenças, nomeadamente a nivel da quantidade de esperma, desejo sexual, etc.
Actualmente somos pais de um rapagão com 02 anos e 07 meses, de nome Pedro, saudável e lindo.
quando contactámos a M.A.C, a solicitar a desistência da lista de espera, os mesmos perguntaram o porquê. Ao qual nós respondemos que era-mos pais de um menino.
A senhora do outro lado ficou muito supreendida e perguntou como tinha-mos conseguido. Nós contámos-lhe e a mesma ficou supreendida e comentou - "Fizeram bem! Parabéns"
Aqui fica a experiência, minha e da minha esposa, ao que nós nos sentimos solidários com todos.
se for necessário algum contácto: WWW.praposinha@sapo.pt, ou 917855332.

João e Adelaide Ramalho

11:40 da manhã, junho 01, 2006  
Blogger Luna2 said...

Olha sabes que a Avaclinic vai promover um encontro dia 29/junho em que se vai falar de como enfrentar o stress dos tratamentos? Se fore á pagina da avaclinic podes obter mais informações. acho que é capaz de ser algo interessante . é necessário inscreverem-se, mas é gratuito.

8:41 da manhã, junho 13, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Sou enfermeira e lido diariamente com o sofrimento e as dúvidas de numerosos casais... Fico feliz pela existência deste espaço. Gostava de apoiar e ajudar nalgumas dúvidas inerentes a qualquer tipo de tratamento. podem enviar os vossos mails para: fertilitynurse@sapo.pt

5:44 da tarde, junho 19, 2006  
Anonymous monique said...

Queria saber se alguem por aqui tomou parlodel e engravidou e qto tempo demorou para q isso acontecesse? Ja estou tomando; na tentativa de engravidar do 2 filho, a 5 anos tento e nao consigo. Monique

7:42 da tarde, setembro 07, 2006  
Anonymous xana said...

pois é isto de quer e nao poder doi muito
sabemos que temos tudo para sermos felizes e no momento em que tentamos a felicidade maior a de ser mae ou pais nao o podermos ser é muito doloroso,mas a vida guarda-nos surpresas boas e más e temos que saber dar-lhe a volta para que nao seja a vida a levar-nos mas sim nós a levarmos a vida!!desejo a todas que como EU vivem este drama psicologico tao forte que saibam dar a volta levantar a cara (quando apetece desaparecer)e seguir para o proximo passo.
pensem sempre que estamos ca com objectivos e nao podemos deixar de tentar concretizar-los.
Parabens a todas e todos que seguem em frente!!
EU VOU FAZENDO IGUAL SIGO EM FRENTE
Nao olho muito para traz.
beijos e força

2:52 da tarde, setembro 18, 2006  
Anonymous Anónimo said...

gostei imenso de me deparar com experiencias de vida, que se assemelham à minha, tenho 32 anos já estou a tentar engravidar à 6 anos mas até agora nada, o que é preciso é ter força, ainda bem que vos encontrei. Fish

11:25 da tarde, setembro 24, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Gostei muito do vosso blog e dou os parabéns a todas as candidatas a mães ao unirem-se por esta causa nobre, difícil e que traz tanto sofrimento a quem vive esse drama(infertilidade).
É optimo que a lei finalmente contemple as doações.
Gostaria de alertar para a enorme demagogia que se faz em torno da prestação de serviços em alguns hospitais públicos (Coimbra). O tempo não é reduzido e já têm recusado pacientes só porque terão mais de 40 anos...
Gostaria de alertar para o optimismo eaxgerado, quanto ao sucesso destas técnicas, que se reproduz na comunicação social. É que muitas vezes há défice de informação. É tido como sucesso uma mãe de 50 anos mas não é dito que ela recebeu ovócitos de uma mulher muito mais jovem...
Parece, hoje em dia, que é extrememente fácil ser uma mãe tardia recorrendo a estas técnicas que se apresentam como espectaculares. Se bem que o sejam, ainda estão longe de ser fáceis, rápidas, baratas e sobretudo inócuas, em matéria de sofrimento. Por favor esclareçam-se as mulheres quanto ao risco de iniciar este projecto demasiado tarde. Obrigada.

1:17 da tarde, setembro 30, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Olá! Hoje recebi 1duro golpe,ouvi a explicação do resultado da análise do meu marido, Azoespermia! Algo k me pareceu impossivel, ele foi pai há 10anos e parece ser saudável.Estou muito confusa, há 2anos k tentavamos engravidar, sendo eu a unica a fazer exames e a causa mais provável ser de ordem psicológica. Não è! Adorei o blog. Estou solidária convosco. Jinhos e BEM HAJA para todas

5:14 da manhã, outubro 07, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Olá, espero que corra td bem com todos os casais inferteis que querem ser pais e ainda não conseguiram. Desde já dou os parabéns a quem criou este espaço, porque a nível psicológico é mto importante partilhar experiências, ajuda-nos a acreditar e a não perder a esperança, pelo menos há alguém que nos compreende e passa pelo mesmo. Eu tive a 1ª consulta de infertilidade na MAC em Nov-06, tenho ovários policisticos e o meu marido azoospermia, a Drª Graça Pinto já nos falou que possivelmente a unica hipotese de engravidar é através da FIV, embora esteja ainda na fase de investigação, acho desesperante o tempo que demora e não tinha noção que a lista de espera para a FIV era de 2 anos ... tenho 29 anos e gostava mto de ter um filho, será que alguma vez esse dia vai chegar? Temos de ter esperança e nunca deixar de acreditar. Desejo a todos a maior sorte do mundo, Beijinhos.
Sofia
e-mail: osonhodesermae@hotmail.com

10:51 da manhã, janeiro 20, 2007  
Blogger kelly said...

Parabéns pelo blog!
Gostaria se possivel de conseguir contato com João e Adelaide que fizeram comentario do tratamento deles com naturopata. ocaso de vcs é o mesmo que o nosso .Porfavor nos ajudem .
Obrigada kellymazzapossamai@gamil.com

4:13 da tarde, fevereiro 09, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Lili said:

estou muito triste porque eu e o meu marido andamos há já quatro anos sem conseguir o que mais desejamos: um filho. Neste moemnto encontro-me numa fase complicada porque sinto-me entrar num borraco em forma de espiral: caio, caio cada vez mais fundo!~Porém não consigo! Hoje é dia de Páscoa e não posso esconder ovos pela casa para que uma criança os encontre!
É a 1ª vez que estou neste site e espero que vocês venham me dar forças...

10:55 da manhã, abril 08, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Olá.
Passei aqui "por acaso".
Tenho a síndrome ovários poliquisticos, e, hiperprolactinémia.
Tive 2 filhos com a Graça e a Misericóridia de Deus. São um milagre, um presente de Deus.
Para todas as que passam pelo mesmo, não percam a esperança.
E, é por dar o devido valor a todas as mulheres que passam por isso, que estou a desenvolver uma investigação, do modo como se sentem as mulheres que sofrem desta síndrome, não só como mulheres que "não conseguem engravidar", mas sobretudo, no seu dia-a-dia.
Se sentem que são diferentes das outras mulheres, com gostos diferentes e opções diferentes, se são mais racionais e objectivas, se se sentem diferentes, se quando menstruam a tensão pré-mestrual é mais forte e intensa...
Isto pode vos ajudar, porque a divulgação no meio cientifico, torna-o mais humanizado.
Escrevema-me por favor para: tinoca.laroca@hotmail.com
ps: parabéns pelo blog
T.

8:53 da manhã, abril 12, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Gostei de ler alguns dos depoimentos neste blog.
Soube ontem que o meu marido tem azospermia...e ficámos de rastos...o nosso sonho está a desaparecer.

5:26 da tarde, junho 29, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Ola, senti-me comovida ao ler o vosso blog...e doloroso saber que ha tantas pessoas unidas por uma situacao dramatica como a infertilidade. Eu sei como e viver em funcao de tentar conceber um bebe, porque aos 28 anos eu vivo com este problema diariamente ha 3 anos... Eu sofro de infertilidade secundaria, tive uma linda menina aos 17 anos que e a minha razao de viver. Nestes ultimos 3 anos tive um aborto espontaneo e 2 ectopicas que resultaram na perda de uma das trompas de fallopio e bloqueio total da outra.Para mim a unica solucao e FIV...Vivo em Inglaterra ha 7 anos e aqui nao tenho direito a nenhuma ajuda com os custos, porque eu e o meu marido temos uma filha viva.Penso comecar os tratamentos por conta propria em breve.Ira ser dificil, mas nao vou desistir...Obrigada e nunca percam a esperanca.

5:36 da tarde, setembro 22, 2007  
Anonymous Ana said...

Somos alunos do curso de ciências e tecnologias do ensino secundário, 12º ano da escola José Macedo Fragateiro de Ovar.

No âmbito da disciplina de Área de Projecto, na qual decidimos trabalhar sobre a infertilidade, e enquanto navegávamos por uns sites, descobrimos o vosso site. Ficámos interessados por muitos dos testemunhos que aqui deixaram a sua marca! Gostaríamos que adicionassem o nosso e-mail do msn para podermos desenvolver o nosso trabalho com testemunhos reais.


Gostaríamos muito de receber uma resposta em breve. Comprometemo-nos a enviar o resultado final do nosso trabalho com todo o gosto.


Atenciosamente, dos alunos, Ana Luís Garcia, Sara Sequeira Silva, Rafael Amaral, Mariana Elvas e Susana Reis.

anna___7@hotmail.com

11:32 da manhã, outubro 03, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Es dir die Wissenschaft. viagra nebenwirkungen levitra generika erfahrungen [url=http//t7-isis.org]viagra generika[/url]

6:15 da tarde, janeiro 02, 2010  
Anonymous Anónimo said...

Olá amigas eu também estou na mesma luta à cerca de 2 anos.Em setembro de 2009 procurei uma clinica privada no Porto (Alberto Barros)que tem uma equipa fantástica.No mês passado iniciei o meu primeiro tratamento (as picas)mas penso que não foi logo à primeira,pois mais uma desilusão avizinha-se e lá vai começar mais um tratamento,picas durante 7 a 8 dias, ecografias e mais uma pica para libertar o ovulo.Não vou desistir vou fazer tudo o que for preciso para ter o filhote muito desejado.Deus nunca nos abandona.Não desistam. Força!

10:23 da tarde, março 12, 2010  
Anonymous sandra said...

Oi amigas estamos unidas pela mesma causa,nunca desistam do vosso sonho de ser mãe,pois quando se quer muiiiiiiiiiiito consegue-se e Deus dá sempre uma ajuda de coragem e esperança.Eu não vou desistir nunca,vou fazer de tudo para um dia concretizar o meu maior dejeso de ser mãe da minha Matilde ou Martim ou de ambos quem sabe.Beijos e muita força.

10:31 da tarde, março 12, 2010  
Anonymous Anónimo said...

Olá!!! Adorei encontrar Esse Blog e ler esses comentários!!! Eu e meu marido descobrinos 2anos q ele tem azoespermia! E hoje estamos tentando engravidar. O nosso Sonho e ter filhos e não vamos desistir. Deus sabe o que faz! Mais tenhu fé q um dia vou ser Mãe. E com meu marido q amo.

11:48 da tarde, julho 16, 2010  
Anonymous Anónimo said...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site

10:09 da manhã, janeiro 17, 2013  
Anonymous Anónimo said...

The strong-point is around these economic facilities to disguise all unexpected emergency expenses directly on time. It's quite possible that a natural disaster watch only will provide you with concerning 36 several hours of planning time? Well, due to the situation you are in, it would be an excellent option to apply for the provision regarding instant payday loans! instant pay day loan Payday loans are available to many of the citizens of the UK.

12:19 da tarde, abril 07, 2013  
Anonymous Anónimo said...

There are numerous financial institutions that offer the money deal at varied charges. In the event the segment encourages products or even stores of advertisers, a lot the better. Property equity is the portion of the valuation on your home that you own and that's not restricted in debt. instant same day loans But I believed you were going to be my Coach, Nolan.

1:55 da tarde, abril 08, 2013  
Anonymous Anónimo said...

So in place of strolling at a constant pace for say an hour, you'll transform issues up by alternating short bursts of extreme strolling for say a minute followed by a recovery period with slower walking soon after each and every intense time period. Just preserve alternating for 20 minutes to start and include time as you turn into extra fit. You are able to use interval training with all phases of your green coffee bean extract to enhance your success.

Also once you do any type of workout it truly is strongly encouraged that you just drink plenty of water before for the duration of and following to keep the body correctly hydrated.

1:00 da tarde, junho 05, 2013  

Enviar um comentário

<< Home